sexta-feira, 27 de março de 2015

Amamentação

AMAMENTAÇÃO
CONCEITO: 
É o ato de alimentar o bebê com o leite materno, vindo diretamente do peito, deve ser exclusiva durante os primeiros 6 meses de vida do bebê.

COMPOSIÇÃO DO LEITE MATERNO
       Água
       Proteínas
       Gorduras
       Vitaminas
       Sais Minerais
       Além de incorporar outras substâncias como anticorpos e glóbulos brancos

FASES DA PRODUÇÃO LÁCTEA 

1.Colostro: Secretado no pós parto imediato até cerca de uma semana, caracteriza-se por um fluído amarelado e espesso, rico em proteínas e com menor teor de lactose e gorduras que o leite maduro, tem cerca de 67 kcal para cada 100 ml e um volume de 2 a 20ml por mamada. Rico em vitaminas A e E, carotenóides e imunoglobulinas confere proteção contra vírus e bactérias para o bebê e permite que ele libre o mecônio, suas primeiras fezes. Possui ainda fator bífido, responsável pelo crescimento da microbita intestinal e pela presença de Lactobacillus bifidus.

2.Leite de Transição: do 7º ao 14º dia de puerpério, apresenta aumento de volume e estabilização de sua composição.

3.Leite maduro: Sua composição varia durante as fases da lactação e contem, além das vitaminas A,D e B6, cálcio, ferro e zinco.
Mães de recém nascidos pré termo (<37 sem) contém mais proteínas e lipídios e menos lactose, além de teores mais elevados de lactoferrina e IgA.
Em relação aos nutrientes do leite materno, as proteínas classificam-se em caseína e proteínas do soro, sintetizados pela glândula mamária e albumina, enzimas e hormônios provenientes do plasma. Não há evidências de que a composição corporal ou os hábitos alimentares maternos influenciem na concentração de proteínas do leite humano, mesmo em mulheres desnutridas.
A principal fonte de energia do leite materno são as gorduras, principalmente Triglicerídeos (98%). Nesse caso, o tipo de lipídeo consumido pela mãe e seu estoque de gordura corporal,  influenciam diretamente a composição de ácidos graxos do leite materno, exceto a de colesterol.
O principal carboidrato é a lactose (aprox. 70g por litro). Ela é fundamental na absorção de minerais como cálcio e  ferro e sua concentração parece não sofrer influência da dieta materna.
Os minerais presentes no leite (Ca, Fe, Zn, Cu, etc) são altamente biodisponíveis se comparados ao leite de vaca ou a fórmulas infantis. Sua concentração não é afetada pela alimentação da mãe. Já as vitaminas (A,D,E,K,C e complexo B) têm sua concentração influenciada diretamente pela dieta materna, daí a importância de uma alimentação variada e balanceada.
Enfim, não há dúvidas de que o leite materno é o alimento ideal para o recém nascido, exclusivo até o 6º mês e complementado até 2 anos.
Colostro (  tampa amarela), Leite de transição ( tampa azul claro), Leite Maduro (tampa azul escuro)


O ALEITAMENTO MATERNO PROTEGE AS CRIANÇAS DE:
       Otites
       Alergias
       Vômitos
       Diarreia
       Pneumonias
       Bronquiolites
       Meningites

VANTAGENS DO ALEITAMENTO MATERNO 

1- VANTAGENS DO ALEITAMENTO MATERNO PARA O BEBÊ
ü  Melhora o desenvolvimento mental do bebê;
ü  É mais facilmente digerido;
ü  Amamentar promove o estabelecimento de uma ligação emocional, muito forte e precoce, entre a mãe e a criança, designada tecnicamente por vínculo afetivo. Atualmente, sabe-se que um vínculo afetivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas;
ü  O ato de mamar ao peito melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.
2- VANTAGENS DO ALEITAMENTO PARA MÃE
       Forma prática de alimentar a criança.
       Realização feminina.
       É um direito e não uma obrigação.
       Proteção contra anemia.
       Volta a estado físico anterior mais rápida.
       Menor taxa de câncer de mama.
       Efeito contraceptivo.
       Proteção pela legislação
3- VANTAGENS DO ALEITAMENTO PARA FAMÍLIA E SOCIEDADE

  •   A amamentação é mais econômica para a família.
  • Basta multiplicar o preço de uma lata de leite em pó, pelo número de latas necessárias ao longo da vida da criança, e somar ainda o dinheiro gasto em mamadeiras, bico, gás, esterilizador, energia elétrica.
  •  Menos gasto com doenças.
  • Menos crianças desnutridas.
  • Menos óbitos.

MITOS E DÚVIDAS SOBRE AMAMENTAÇÃO
-  Cerveja preta, canjica, canja, água inglesa aumentam a quantidade de produção de leite materno?
 A quantidade de leite produzido é regulada pela hipófise. É importante que a mãe consuma quantidade suficiente de líquidos, preferencialmente água e mantenha uma dieta equilibrada. O consumo de bebidas alcoólicas é absolutamente proibido.
- O que é amamentação exclusiva?
Amamentação exclusiva é quando é oferecido para o bebê somente o leite materno como fonte de comida e  bebida. E não são utilizados mamadeiras, bicos e chupetas.
- Por quanto tempo devo manter a amamentação exclusiva?
O tempo mínimo de amamentação exclusiva é de 6 meses. Este período foi estabelecido através de pesquisas e estudos com mães e bebês. Após os 6 meses de vida do bebê inicia-se a introdução de outros alimentos como: sucos, frutas amassadas e papinhas de legumes.
- O colostro não é o mesmo que o leite, então posso desprezar o colostro?
Não despreze o colostro. O colostro é rico em substâncias imunológicas e proteínas, sendo uma vacina natural para o bebê, além de ser nutritiva.
- O  meu leite pode não ser forte o suficiente?
Não! O leite da mãe é na verdade adequado às necessidades do bebê. O leite fraco existe apenas em situações extremas como no caso de desnutrição profunda da mãe.
– O que é aleitamento de livre demanda?
O aleitamento de livre demanda consiste simplesmente em oferecer o peito ao bebê quando o mesmo demonstrar a necessidade, de modo geral isso acontece de 3 em 3 horas, mas se o intervalo entre as ofertas for um intervalo de tempo menor não significa que o leite não está sendo bom o suficiente. Pode significar por exemplo que a capacidade gástrica (espaço no estômago) do bebê ainda é muito pequena para mamar leite suficiente para 3 horas de intervalo.
- Quando está muito quente posso dar água na chuquinha para o bebê?
Não é necessário dar água para o bebê. É especialmente proibido o uso de mamadeiras. No caso de administração de medicamentos  esses devem ser oferecidos para o bebê através de um copinho descartável de café ou uma colher. O uso de bicos de silicone, chupetas , mamadeiras e chuquinhas prejudicam a longo prazo o desenvolvimento dentário da criança e a curto prazo fazem com que o bebê perca o interesse no bico do peito da mãe e assim pare de mamar.
-  Se o bebe arrotar no peito da mãe o leite seca?
Não há nenhum problema em o bebê arrotar no seu peito. O leite não secará por conta disso. A razão mais comum para o leite secar é a falta de estímulo, que consiste no simples ato de sucção pelo bebê.
-  O bico do meu peito é para dentro, logo não posso amamentar?
Todas as mulheres saudáveis podem amamentar, independente do tipo do bico do peito. Muitas mulheres acreditam que a sucção é feita através do bico do peito. Mas, essa informação é errada. O que estimula a saída do leite é quando o bebê suga a aréola do seio e então o leite sai através do bico do peito. Não há nenhum problema se o bico é plano, saliente ou invertido (para dentro), como também não há nenhuma correlação no tamanho do seio.
-  Se o bico do peito está rachado ou machucado, ou tenho o leite empedrado devo parar de amamentar?
Não, rachaduras e machucados no bico do peito decorrentes da amamentação não são prejudiciais ao bebê. Uma maneira prática de evitar rachaduras e futuros machucados no bico do peito é esvaziar um pouco o peito antes do bebê começar a mamar, isso ajuda a pega correta pelo bebê. Como regra geral não suspenda a amamentação exclusiva até que o seu bebê tenha completado 6 meses de vida.
- O bebê pode mamar no peito de outra pessoa que seja conhecida ou da mesma família?
Não, nunca, jamais o seu bebê deve mamar no peito de outra pessoa.E jamais amamente um bebê que não seja seu! O que pode acontecer é você ser doadora ou usuária de um banco de leite materno estabelecido dentro de um hospital, onde o leite das mães doadoras são pasteurizados, examinados e armazenados de modo correto.
A mulher que faz plástica nos seios não consegue amamentar. 
Não é verdadeiro. As implantações de silicone em geral são feitas atrás do tecido mamário ou mesmo abaixo dos músculos peitorais e preservam as ligações das glândulas mamárias com os mamilos, permitindo a amamentação. No entanto, as próteses muito volumosas ou as cirurgias de redução das mamas, que implicam numa retirada parcial da glândula, podem dificultar um pouco, mas não impedir a amamentação.
A amamentação engorda
Não é verdadeiro. Há mulheres que inclusive emagrecem nessa fase. A mulher que amamenta gasta mais calorias do que normalmente gastaria, contribuindo para “entrar em forma” mais rapidamente depois do parto.
- Mulheres que têm seios grandes produzem mais leite do que as que têm seios pequenos
 Não é verdadeiro. O tamanho dos seios depende do tecido gorduroso, não das glândulas mamárias, que se apresentam aproximadamente na mesma quantidade em todas as mulheres.

TÉCNICAS CORRETAS DE AMAMENTAÇÃO

Até seis meses de idade, a alimentação da criança deve ser exclusivamente constituída de leite materno, administrado de preferência por mamadas no peito. A partir daí, até cerca de dois anos da idade, ela pode ser intercalada com papinhas e outros alimentos sólidos. Para dar de mamar, adote os seguintes cuidados:
  1. Lave e seque bem os mamilos, antes de cada mamada.
  2. Alterne os lados da mamada. Comece cada mamada no seio do lado contrário ao que tenha terminado a mamada anterior. O bebê geralmente suga cada seio durante 10 a 15 minutos, mas este tempo varia muito de bebê para bebê. Tenha paciência. Cada bebê tem seu ritmo próprio, mas a mamada nunca é uma coisa rápida.
  3. Se necessário, use medicamentos, como analgésicos, cremes, vitaminas, etc. Mas aconselhe-se com um médico, porque há medicamentos que NÃO devem ser tomados durante o aleitamento.
  4. Os bebês têm ritmos diferentes de sugar. Uns são muito ávidos, outros são muito lentos. No entanto, é conveniente que o bebê sugue bastante, porque isso estimula a produção de leite.
  5. Dê de mamar dentro da primeira hora de vida do bebê. Se possível, ainda dentro da sala de parto. Quanto mais cedo, melhor para o vínculo mãe-bebê e para estimular a produção dos hormônios necessários! Como nos primeiros meses de vida o bebê ainda não formou seu esquema de horários, alimente-o sempre que ele manifestar desejo. Posteriormente, dê de mamar a cada três horas, mas não seja excessivamente rigorosa nisso. Cada bebê tem seu ritmo de fome. Deixe o bebê dormir nos intervalos das mamadas. Aproveite para descansar, você também merece!
  6. Ache uma posição que seja cômoda para a mãe e para o bebê. Em geral a mãe estará sentada numa poltrona, relaxada, com as costas apoiadas e a coluna reta. O bebê deve ser elevado até a altura dos seios ou estar apoiado em uma almofada que o coloque nessa posição. Se a mãe estiver deitada, o bebê também deve estar deitado, paralelo a ela e colocado de modo a alcançar comodamente os mamilos.
  7. Se sentir sede, antes de amamentar, tome água, leite ou sucos. O ideal é que você não chegue a sentir sede, mas que se mantenha hidratada ao longo do dia.
  8. A mãe deve estar descansada, bem alimentada e ter dormido bem; coisas que nem sempre são possíveis nessa fase da vida. Mas ela deve contar com a ajuda dos familiares nesta hora, sempre que possível.
  9. As mãos que segurarão o bebê e tocarão os seios devem ser bem lavadas, antes de cada mamada.
  10. Ponha o bebê na posição vertical, para arrotar. É assim que ele elimina o ar que ingeriu enquanto mamava e que causa muitas cólicas. Não é necessário esperar pelo fim da mamada para que o bebê arrote. Faça intervalos durante as mamadas e procure fazer com que o bebê arrote durante eles. Exercícios de “tapinhas” nas costas podem ajudar. Nunca ponha o bebê no berço antes dele arrotar!
  11. Muitas mulheres produzem leite suficiente para alimentar seu bebê e ainda outros mais. Se a mãe tiver leite em excesso, ele pode ser retirado e conservado em vasilhame de vidro esterilizado. Na geladeira, dura 24 horas; no congelador, até 15 dias! Nesses casos, que tal fazer uma doação para um banco de leite?

MEDIDAS QUE AJUDAM A AUMENTAR A PRODUÇÃO DE LEITE
- Beba bastante água. Ela se transforma no alimento do bebê sem grandes processos orgânicos. O ideal é consumir 4 litros por dia;

- Procure não ficar nervosa. A mãe que amamenta precisa relaxar, e eventos estressantes podem inibir a produção láctea;

- Durma bem. Com tanto gasto de energia que começou na gravidez, você precisa repor as energias e o descanso é fundamental;

- Alimente-se adequadamente. Prefira alimentos ricos em minerais, especialmente cálcio e fósforo;

- Amamente sempre que o bebê quiser, sem horários definidos. Quanto mais ele mamar, mais leite o organismo produzirá;

- Ajude o bebê a fazer a pegada certa no bico do seio. A sucção estimula a produção de prolactina e ocitocina, o que faz o organismo produzir mais leite;

- Tome remédios somente com orientação médica, pois a maioria dos medicamentos são transmitidos no leite. Comunique sempre o seu médico, de qualquer especialidade, que você está amamentando.

PROBLEMAS QUE PODEM SURGIR NAS MAMAS DURANTE A AMAMENTAÇÃO
1- Bico do seio rachado e dolorido
Quando o bico do seio fica rachado, a mulher tem uma greta e, pode apresentar dor e sangue na mama. Este problema surge devido à posição errada do bebê a mamar ou ao ressecamento do mamilo e, normalmente é comum nas primeiras semanas após o parto. Este problema mamário comum da amamentação pode ser resolvido caso a mulher tire e espalhe uma gota de leite no mamilo após cada mamada. Se a dor for muito forte, a mãe deve retirar o leite manualmente ou com bomba e, dar ao bebê com copo ou colher até que o mamilo melhore ou cicatrize totalmente. Além disso, ajudar o bebê fazer uma pega correta enquanto amamenta é fundamental.
Tirar e espalhar a gota de leite


Pega correta da mama






2- Leite empedrado
O leite empedrado, ocorre quando o leite materno não sai, pois o ducto da mama está entupido e, a mulher sente um nódulo na mama, como se fosse um caroço, tendo a pele avermelhada nesse local e muita dor. É importante a mãe usar roupa larga e um sutiã que apoie bem os seios sem comprimir a mama para evitar que os dutos entupam.  Além disso, deve-se fazer uma massagem nos seio para retirar o leite e evitar a mastite.
TÉCNICA DE MASSAGEM
Passo 1
Durante um banho morno, deixe a água cair em cima das mamas por alguns minutos. Depois apoie uma das mamas com uma mão e use a outra mão para massagear suavemente a mama, com movimentos circulares que se iniciam próximo da auréola e depois estendem-se por toda a mama. Repita na outra mama.
Passo 2
Segure as duas mamas pela lateral com as mãos e junte os dois seios. Faça este movimento suavemente 4 ou 5 vezes.
Passo 3
Faça movimentos circulares com as mãos à volta do mamilo com uma leve pressão. O objetivo é facilitar a retirada do leite e, por isso, pode-se também iniciar a retirada de um pouco de leite com as mãos. Basta pressionar a região onde começa a auréola utilizando os dedos indicador e polegar, como mostram as imagens, até que saia um pouco de leite e a mama fique menos inchada e mais maleável, depois coloque o bebê para mamar.
técnica de massagem
Repita esta massagem todos os dias sempre que as mamas estiverem muito cheias, pois quando elas estão assim o bebê terá mais dificuldade em abocanhar a mama corretamente e, por isso, poderá não conseguir mamar e começar a chorar por ter fome e por não conseguir tirar o leite da mãe.
3- Inchaço e endurecimento da mama
Ao inchaço e endurecimento da mama, chama-se ingurgitamento mamário e, ocorre quando existe uma produção elevada de leite, podendo surgir por volta do 2º dia após o parto. Nestes casos, a mulher tem febre e a mama fica avermelhada, a pele brilhante e esticada e o seio fica tão duro e inchado que amamentar torna-se muito doloroso. Para solucionar o ingurgitamento da mama é importante dar de mamar sempre que o bebê quiser para ajudar a esvaziar a mama. Além disso, após a mamada, deve-se aplicar água fria nos seios, com uma compressa ou no banho, ajuda a diminuir o inchaço e a dor.
4- Bico do seio invertido ou plano
Ter o bico do seio invertido ou plano, não é exatamente um problema pois o bebê precisa de abocanhar a aréola e não o bico do seio, por isso, mesmo que a mulher tenha o bico do seio invertido ou muito pequeno ela conseguirá amamentar.
Para que a mãe com mamilos planos ou invertidos amamente com sucesso é essencial ensinar a estimular o mamilo antes das mamadas. Assim, o estimulo do mamilo para que este fique mais visível, pode ser feito com a bomba de retirar o leite, devendo ser feito durante 30 a 60 segundos sempre antes de amamentar ou usar uma seringa adaptada. Em casos em que estas técnicas não é possível, pode-se usar bicos artificiais que são aplicados sobre o seio e que ajudam amamentar.
5- Produção de pouco leite
Produzir pouco leite não deve ser visto como um problema, pois não põe em causa a saúde da mulher nem do bebê, sendo que, nestes casos, o pediatra indica o uso de leite artificial. Para aumentar a produção de leite, deve-se deixar o bebê mamar sempre que ele quiser, e por quanto tempo ele quiser, oferecendo os dois seios a cada mamada. A mãe também deve aumentar o consumo de alimentos ricos em água, como tomate ou melancia, e beber 3 litros de água por dia ou chá (camomila, gengibre, alfazema).
6- Produção de muito leite
Quando existe uma produção elevada de leite, existe maior risco de desenvolver fissuras, ingurgitamento mamário e mastite. Nestes casos, devido ao excesso de leite a amamentação torna-se mais difícil para a criança, mas não trará nenhum prejuízo para a saúde. Deve-se procurar retirar o excesso de leite com uma bomba, ou através da ordenha manual e conservá-lo no frigorifico, podendo ser dado mais tarde ao bebê. É também importante usar sempre uma protetor de mamilo de silicone para evitar o excesso de umidade.
bomba extratora
Protetor de seio







Conservação do leite materno
Para fazer o armazenamento do leite materno de forma correta é importante saber que deve-se guardar o leite num recipiente específico para este fim e ter muito cuidado na hora de tirar, guardar e usar o leite, para evitar a sua contaminação.


Quanto tempo dura o leite materno
O tempo de conservação do leite materno depende do local onde é colocado:
  1. Temperatura ambiente - 40 minutos. Se o bebê for prematuro não é recomendado conservar o leite à temperatura ambiente;
  2. Geladeira - utilizar em até 48 horas, mas 24 horas para bebê prematuro;
  3. Congelador dentro da geladeira - não é recomendado porque pode ter variações de temperatura cada vez que abre a porta da geladeira;
  4. Freezer ou congelador, com porta separada da geladeira - 3 meses;
  5. Freezer com temperatura de -20ºC - dura até 1 ano.
Algumas recomendações importantes são não voltar a congelar o leite materno que esteve na temperatura ambiente por mais de 30 minutos, nem as sobras do leite que podem ficar na mamadeira. No entanto, é possível voltar a congelar o leite se o recipiente ainda não tiver sido usado e se ele estiver na geladeira por menos de 48 horas.
Como descongelar o leite materno
Para descongelar o leite materno é preciso:
  • Retirar o leite do freezer ou congelador algumas horas antes de utilizar e deixar descongelar lentamente;
  • Colocar o recipiente numa bacia com água morna para ficar na temperatura ambiente;
  • Para saber a temperatura do leite, pode-se colocar umas gotinhas do leite no dorso da mão. A temperatura não deverá estar muito alta para não queimar o bebê;
  • Dar o leite para o bebê numa mamadeira devidamente esterilizada e não reaproveitar o leite que pode sobrar na mamadeira porque ele já entrou em contato com a boca do bebê e poderá estar impróprio para o consumo.
​​​O leite congelado não deve ser aquecido no fogão ou no microondas porque ele pode ficar muito quente, o ideal é aquece o leite em banho-maria.
Dicas para evitar os problemas comuns da amamentação
Para evitar alguns problemas comuns da amamentação, como o ingurgitamento mamário, a mastite e a fissura do mamilo, é fundamental ter diariamente alguns cuidados com a mama, como:
  • Lavar os mamilos apenas 1 vez ao dia com água morna, evitando usar sabão;
  • Deixar o bebê largar a mama espontaneamente ou, se necessário, colocar um dedo suavemente na boca do bebê de modo a interromper a sucção e, nunca puxando a boca do bebê do seio;
  • Aplicar uma gota de leite no mamilo e aréola, após cada mamada e após o banho, pois facilita a cicatrização;
  • Expor os mamilos ao ar, sempre que possível, no intervalo das mamadas;
  • Evitar que os mamilos fiquem úmidos, devendo-se optar pelo uso de protetores de mamilo de silicone.
Estas medidas devem ser adotadas durante o período em que a mulher amamenta e devem ser diariamente cumpridas para evitar complicações

POSIÇÃO CORRETA PARA AMAMENTAÇÃO
A posição correta para amamentação é o fator mais importante para o seu sucesso. Para isso, a mãe deve estar em uma posição correta e confortável e o bebê deve pegar a mama corretamente para que não ocorra ferimento nos mamilos e o bebê consiga beber mais leite.
Para uma pega correta, o bebê precisa abrir bem a boca antes de abocanhar a mama e deve pegar mais a parte de baixo da auréola do que a parte de cima. Ele deve estar com as bochechas cheias, com o queixo encostado à mama da mãe e não deve produzir nenhum som ao mamar, somente o de estar engolindo o leite.
Se o bebê estiver pegando somente no mamilo, com a boca mais fechada, é preciso reposicioná-lo, pois além de machucar a mãe o leite não sairá, deixando-o irritado.
Posições para amamentar
Além da tradicional posição para amamentar, em que a mãe está sentada, o bebê está deitado na horizontal e a mãe a agarrá-lo com os braços, existem outras posições como:

  1. A mãe está sentada e o bebê é colocado por baixo do braço da mãe;
  2. A mãe está sentada e o bebê é colocado sentado, com as perninhas abertas como se estivesse num cavalo em uma das pernas da mãe;
  3. A mãe está deitada de lado na cama e o bebê é deitado de lado e de frente para a mãe;
  4. A mãe está de pé e segura o bebê pelas pernas dele.


Cada bebê tem o seu ritmo para mamar, uns mamam satisfatoriamente em 5 minutos, enquanto que outros podem precisar de mais tempo. O ideal é que o bebê mame pelo menos 20 minutos a cada mamada. Com o crescimento e desenvolvimento do bebê, o tempo das mamadas será cada vez menor.

QUANTO TEMPO O BEBÊ DEVE MAMAR
       O bebê deve mamar em horário livre, a seu pedido. Quanto mais vezes o bebê mamar, maior será a produção de leite.
       Todos os bebês são diferentes e por isso a duração das mamadas pode diferir de bebê para bebê,embora possa variar entre 4 a 30 minutos em média. No entanto a situação deve ser avaliada em caso de exceder os 20 minutos, ou caso a mãe sinta dor nos mamilos (consequência de má pega).
       O bebê deve mamar tudo o que desejar de um lado, até deixar a mama espontaneamente, e após arrotar ( se necessário ) deve oferecer-se a outra, que o bebê  poderá aceitar ou não. 




COMO DEVE SER A ALIMENTAÇÃO MATERNA DURANTE A AMAMENTAÇÃO
       Condicionar a ingestão de alimentos que produzam gases, tais como: couve-flor, brócolis, couve-de-bruxelas, couve verde escura, pepino, pimentão verde e vermelho, cebola crua.
       Evitar a utilização de condimentos e especiarias
       Diminuir a ingestão de bebidas estimulantes (chá preto, chá mate e café)
       Reduzir o consumo de frutos como: cítricos, kiwi, banana e frutas silvestres e evitar a ingestão de morangos
       Não exagerar no consumo de leite de vaca ou derivados (não exceder 1L/dia).
       Minimizar a quantidade de alimentos crus na dieta diária. A sua dieta deve consistir em 70 a 80% de alimentos cozidos e apenas 20 a 30% de alimentos crus, dando preferência a cozidos, grelhados, assados e fruta cozida
       Realizar uma dieta simples e diversificada, rica em ovos, carne, peixe, cereais e saladas de alface e/ou cenoura.

       Ingerir bastantes líquidos tais como: água, chá de cidreira, camomila ou de alfazema.

ASSISTA MAIS VÍDEOS DA DRA. ANA HELOÍSA PELO YOUTUBE ACESSANDO A
COLUNA: " Dra. Ana Heloísa responde"


REFERÊNCIAS
http://www.anutricionista.com/
http://www.abc.med.br/
http://revistacrescer.globo.com/
http://www.tuasaude.com/
www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rcisaude/article/.../69
http://www.conhecer.org.br/enciclop/2010c/aleitamento.pdf


Um comentário:

  1. Me chamo Marcos sou de BH e adoro a prática da amamentação adulta com carinho e discrição. Caso você esteja com os seios cheios de leite e queira experimentar este delicioso fetiche me acesse no meu e-mail para conversarmos.
    Meu e-mail: oliveiraalmeida66@yahoo.com

    ResponderExcluir