segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Termoterapia

Termoterapia
A Termoterapia é a aplicação terapêutica de qualquer substância ao corpo que resulta no aumento ou diminuição da temperatura dos tecidos corporais estimulando a Termorregulação corporal.

Tipos de Termoterapia
1- Hipertermoterapia ( calor)
2- Crioterapia (frio)

Fisiologia da Hipertermoterapia e da Crioterapia
O calor atua relaxando os músculos e facilitando a circulação através da vasodilatação, acalmando assim a dor, e diminuindo um pouco, e impedindo o edema local, aumenta o aporte de oxigênio e nutrientes das células;
O frio age pela contração dos vasos sanguíneos ( vasoconstrição), diminuindo a  dor local e impedindo a formação de hematomas e abscessos. Em certos tipos de ferimentos abertos controla a hemorragia.
1-Hipertermoterapia

Consiste na aplicação de calor sobre a pele, podendo ser:
a) Calor Seco: Através de bolsa de água quente ( mais usado pela enfermagem), bolsas elétricas, raios infravermelhos.
b) Calor Úmido: por meio de compressas quentes, cataplasma ou emplasto ( uma forma de medicação caseira caracterizada pela colocação de alguma substância sólida sobre a pele, com o intuito de aquecer ou amolecer tecidos).

Indicações:
 Inflamação subaguda e crônica
 Redução da dor crônica e subaguda
 Espasmo muscular crônico e subagudo
 Redução da amplitude de movimento
 Resolução de hematomas
 Redução de contraturas articulares

Contra indicações:
 Feridas cirúrgicas
 Hemorragias
 Lesões abertas (como escaras)
 Luxações e trações, antes de 24 horas
 Presença de processos tromboembólicos
 Doentes hemofílicos
 Doentes com fragilidade capilar
 Neoplasias

Efeitos sistêmicos da aplicação de calor:
 Aumento da temperatura corporal
 Aumento da pulsação
 Aumento da frequência respiratória
 Redução da pressão arterial

Efeitos locais da aplicação do calor
 Vasodilatação
 Aumento da taxa do metabolismo celular
 Aumento da libertação de leucócitos
 Aumento da permeabilidade capilar
 Aumento da drenagem venosa e linfática
 Formação de edema
 Remoção de resíduos metabólicos
 Redução do tônus muscular
 Redução do espasmo muscular
 Transpiração
  Aumento da velocidade de condução nervosa
 Aumento da elasticidade dos ligamentos
Material
Bolsa de borracha, forro para cobrir a bolsa, de preferência flanela, água quente.
Procedimentos
1. Certificar-se do local que deverá receber a aplicação;
2. Orientar o paciente sobre o procedimento;
3. Reunir o material;
4. Testar as condições da bolsa, para não ocorrer vazamento;
5. Colocar a água quente na bolsa, retirar todo o ar do interior da mesma e fechá-la;
6. Virar a bolsa com o gargalho para baixo, observar se está bem fechada e enxugá-la;
7. Cobrir a bolsa com o forro e observar se a temperatura através do pano está adequada;
8. Aplicar no local indicado e deixar no local no mínimo 20 minutos e no máximo 40 minutos;
9. Avaliar as condições da pele no local, 2 ou 3 minutos após a aplicação da bolsa, para certificar-se de que essa temperatura não vai causar queimaduras no paciente;
10. Terminada a aplicação, retirar a bolsa e manter a região agasalhada para evitar corrente de ar;
11. Deixar o paciente em ordem e confortável;
12. Esvaziar a bolsa e pendurá-la com o gargalho para baixo até secar;
13. Anotar o procedimento e o efeito no relatório.
Crioterapia
É a aplicação de frio, sob a forma de:
a) Frio Seco: através de bolsa de gelo;
b) Frio Úmido: através de compressas frias.
Indicações da crioterapia
As indicações da crioterapia incluem:
• Lesões musculares, como, por exemplo, entorses, pancadas ou manchas roxas na pele;
• Lesões ortopédicas;
• Dores musculares;
• Inflamação dos músculos e das articulações;
• Queimaduras leves;
• Abaixar a febre;
• Controlar hemorragias;
• Tratamento das verrugas do HPV.


Contra indicações da Crioterapia:
As contraindicações da crioterapia incluem:
• Ferida aberta;
• Pós-cirúrgico imediato;
• Infecções;
• Má circulação sanguínea;
• Doença imunológica;
• Hipotireoidismo;
• Psoríase;
• Doença cardíaca;
• Tratamento para o câncer;
Material
Bolsa de borracha, tecido para cobrir a bolsa e gelo picado.

Cuidados importantes
Técnica para aplicação de bolsa de gelo:
1. Seguir os mesmos cuidados descritos na aplicação de bolsa quente;
2. Colocar as pedras de gelo na bolsa, enchendo até a metade;
3. Fechar a bolsa, testar se não há vazamento e enxugá-la;
4. Envolver a bolsa com a coberta (toalha, flanela);
5. Aplicar no local e deixar o tempo que for indicado, conforme prescrição médica;
6. Trocar o gelo sempre que necessário, se o tempo da aplicação for prolongado;
7. Retirar a bolsa ao termino da aplicação, verificar o local observando o resultado;
8. Deixar o paciente confortável e em ordem;
9. Anotar o procedimento e o resultado no relatório de enfermagem.
• Observar constantemente a área de aplicação. Qualquer alteração da pele e queixas do paciente, suspender o procedimento e comunicar o médico;
• Em pacientes idosos, inconscientes, desnutridos e crianças deve-se ter cautela quanto ao limite da temperatura, devido à maior sensibilidade da pele;
• Nunca colocar bolsa com água quente debaixo do paciente, para evitar compressão excessiva da mesma, pois resulta em vazamento e queimaduras ao paciente;
• Não fazer aplicação de bolsa de gelo além de 30 minutos, devido ao risco de causar necrose.


Bibliografia:

Curso de Auxiliar de Enfermagem- Normas e Procedimentos- Barbara R. Hegner e Esther Caldwell
Vídeo do Youtube:https://www.youtube.com/watch?v=HL8KVFEehZE

6 comentários:

  1. Muito boa sua matéria importantíssimo o assunto, pois pessoas ingenuas agem colocando compressas tanto quente como fria para tratar locais que pode ser prejudicial te parabenizo pela matéria!!

    ResponderExcluir
  2. MEUS PARABENS GOSTEI MUITO OBRIGADO.

    ResponderExcluir
  3. Olá por favor onde encontro essas bolsas em SP capital?

    ResponderExcluir