terça-feira, 19 de abril de 2016

CURATIVO DE INSERÇÃO DE CATETER VENOSO CENTRAL

FINALIDADE:
Prevenção de infecções e saída acidental.


RESPONSABILIDADE:
Enfermeiro.


RISCO / PONTOS CRÍTICOS:
  •      Tração acidental do cateter;
  •  Contaminação na execução do procedimento;
  •   Perda da permeabilidade do cateter por dobra.

MATERIAL:
  • Bandeja,
  •  pacote de curativo,
  • gazes,
  •   clorexidina alcoólica 0,5%, álcool 70% ou  PVPI tópico,
  •  luva de procedimento,
  • máscara,
  •  película transparente,
  •   adesivo hipoalergênico
  •  luvas estéreis(se necessário).

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA
Ação de Enfermagem
Justificativa
01- Conferir a prescrição e reunir o material necessário;

01-Evitar erros e facilitar a organização e o controle eficiente do tempo;           

02- Orientar o paciente e a família sobre o procedimento;

02-Reduzir ansiedade e propiciar cooperação;

03- Colocar máscara;

03-Proteger o trabalhador durante o exercício de suas Atividades e reduzir transmissão de microrganismos;

04- Posicionar o paciente em decúbito dorsal horizontal com o rosto voltado para o lado oposto ao que está o  cateter;


05- Higienização das mãos e colocar luvas de procedimento;

05-Reduzir transmissão de microorganismo e
      proporcionar barreira física entre as mãos e fluidos corporais;

06- Abrir o pacote de curativo;


07- Retirar curativo anterior, com pinça dente de rato ou   com as mãos enluvadas, de  forma cautelosa, fazer expressão na inserção;

07- Para não lesionar a pele ou exteriorizar o cateter e averiguar  possíveis sítios infecciosos;

08- Umedecer a  gaze com solução antisséptica e, com o auxílio de pinça aplicá-la na área mais próxima
      do cateter em movimentos circulares no sentido de
      dentro para fora (repetir o procedimento pelo menos três vezes);

08-Evitar transferência de microrganismos de volta à área limpa;

09- Proteger a inserção do cateter com gaze estéril;


10- Com auxílio de uma pinça, umedecer gaze em solução antisséptica e aplicar na pele ao redor do cateter a partir da  periferia da área anteriormente tratada. Executar movimentos circulares cada vez mais amplos, sem
 nunca retornar com a mesma gaze ao local já aplicado.
      Limpar uma área de aproximadamente 10 cm de diâmetro.Repetir o procedimento pelo menos três vezes;


11- Com uma gaze embebida de solução antisséptica, limpar toda a extensão do cateter, com movimentos da proximal para distal, repetindo o movimento se necessário;


12- Depois que a solução secou, cubra o local com um curativo de gaze ou semipermeável transparente. Anote data e hora do curativo;


13- Retirar o material e levar ao expurgo;


14- Retirar as luvas de procedimento e higienizar as mãos;

14-Reduzir transmissão de microrganismo;

15- Checar o procedimento;

15- Informar que a ação foi realizada;

16-Realizar as anotações de enfermagem no prontuário.
16-Documentar o cuidado e subsidiar o tratamento;
Artigos 71 e 72 do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem (Responsabilidades e Deveres).

RECOMENDAÇÕES:
  • Utilizar SF 0,9% para limpeza local, quando houver lesão de pele.
  • A inspeção e expressão da inserção do cateter deve ser feita diariamente, atentando-se para o aspecto da pele ao redor, pois algumas vezes pode apresentar-se alterada (hiperemia ou lesão) devido a processos alérgicos ou trocas frequentes de curativos.
  • Nas primeiras 24 horas, o curativo deverá ser realizado com gaze e adesivo.
  • Não utilizar película se houver exudato no ponto de inserção, neste caso, realizar curativo com gaze e adesivo.
  • A retirada do curativo anterior deve ocorrer de maneira cautelosa, a fim de não lesar a pele e não exteriorizar o cateter.
  • O cateter deve estar afixado com pontos e coberto com um pequeno curativo, sem muito micropore ou esparadrapo, para evitar contaminação.
  • O curativo deve ser trocado sempre que houver sinais de umidade ou presença de sujidade.

-REFERÊNCIAS:
1.     ARCHER, Elizabeth et al. Procedimentos e protocolos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.
2.     CARMAGNANI, M. I. S. et al. Procedimentos de enfermagem: guia prático. Rio de janeiro: Guanabara Koogan,
       2009.
3.     KAWAMOTO, Emilia E.; FORTES, Julia I.; Fundamentos de Enfermagem. 2. ed. São Paulo: EPU, 2005.
4.     MANUAL de procedimentos de enfermagem. São Paulo, 2005. Disponível em: <http://www.unifesp.br/spdm/manual_hosp/arquivos/manuais/>. Acesso em: 6 out. 2009.
5.     SANTOS, A. E.; SIQUEIRA, I. L. C. P.; SILVA, C. S. Procedimentos especializados. São Paulo: Atheneu, 2009.   (Série boas práticas de enfermagem em adultos).

  6.     SWEARINGEN, Pamela L. Atlas fotográfico de procedimentos de enfermagem. 3 ed. Porto Alegre, Artmed,  2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário